Ho’oponopono

Ontem eu gritei. Eu gritava ao telefone. “Você está ouvindo alguma coisa do que estou dizendo? Você me ouve?”. Dizem que quando duas pessoas que se amam gritam uma com a outra é porque seus corações já estão distantes. Algo assim.. Não percebi na hora, mas percebi depois. O quanto sou mesquinha, egoísta. Quem não ouvia nada era eu, na verdade. Quem era orgulhosa e se recusava a dar o braço a torcer. A aceitar ajuda, cuidado, carinho. Eu sou reativa com quem não merece, com quem me quer bem. Demorei pra perceber isso mas percebi muito mais rapidamente que há alguns anos atrás. Fui meditar. Me senti mal, muito mal. Me senti triste, de verdade. E me aprofundei nessa tristeza, questionei ela de todos os modos possíveis. Por que eu gritei? Qual a necessidade disso? Desse tipo de reação? Por que mesmo reagi assim? E de repente me dei conta de que eu estava na verdade reagindo contra mim mesma. E fiquei profundamente triste. Com o que aconteceu. Comigo mesma. Com tudo. Não precisa ser assim. As coisas, elas não precisam ser assim. Me senti constrangida, com vergonha mesmo. Me senti tentada a me auto-depreciar no mesmo instante. Segurei essa tentação e a afastei. Inspirei, expirei, deixei ir. Mas me lembrei, de tudo. Hoje quando nos encontramos eu pedi desculpas, timidamente. No fim do dia não senti que o que eu disse foi o suficiente. Falei com outras pessoas, fiquei ainda mais consciente do ocorrido, chorei um pouco, fiquei angustiada. E então resolvi pedir desculpas por escrito, me responsabilizando pelo que aconteceu e falando sobre o quanto aquilo me aborreceu e do quanto estava (estou) chateada e constrangida com tudo. Pedi desculpas, pedi perdão, disse que a amava e que era grata, pela preocupação dela comigo. Ela tem razão. E não estou dizendo isso de forma passivo-agressiva, pra terminar uma discussão, nem nada do tipo. Mas estou dizendo genuinamente, com tudo o que eu sinto, de verdade. Eu sou boba às vezes, é verdade. Mas é meu dever me redimir, me perdoar e seguir em frente.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: