Aderência

Os anos vão passando e não consigo encontrar nenhum lugar onde me identifique plenamente. Nenhum lugar, nenhuma situação. Consigo querer as coisas, planejá-las e executá-las sem maiores problemas. Mas não me lembro a última vez que tive uma decisão e fiz uma escolha verdadeiramente genuína, sem ser por impulso, sem ser por rompante. Não me vejo tendo tempo, não me vejo tendo espaço. Preciso priorizar o que precisa ser priorizado, tudo o que faço por aqui é por sobrevivência, não por gosto. Não por luxo. Não tenho tempo pra essas coisas, elas não são para mim. Não nessa vida. Às vezes isso de identificação plena parece ser uma ilusão, mesmo. O difícil agora é tentar fazer com que isso, que mais parece um defeito, trabalhe ao meu favor e não mais contra mim. Não chego a estar perdida totalmente, no entanto, não me identifico plenamente com algumas escolhas que fiz. Pretendo mantê-las no entanto. Mas compreendo que não mais caibo aqui. Que não servimos, juntos. Essa busca por identidade já ultrapassa alguns anos e não houve, até então, uma vez sequer em que eu me sentisse plenamente satisfeita. Com nada. Houveram apenas vislumbres disso. Enfim… Não acho que isso um dia finalmente vá acontecer, ao menos não nessa vida. Não me identifico mais nem mesmo com as pessoas com quem tenho andado por tanto tempo, por tantos anos. Olho para pessoas novas, para novas pessoas velhas, e entendo que sobrevivam e que tenham seus nichos, dos quais não faço parte. Fico sempre como alguém dissidente, na margem – e sequer tenho vontade de fazer parte daquilo tudo também. Não faço parte do grupo de gente bonita, elegante & sincera. Eu vivo num mundo que é movediço, mutável. Num mundo de sombras e projeções. Nesse lugar liso demais e iluminado demais no qual pra sempre terei essa falta de aderência, a qual agora questiono se é mesmo necessária e até que ponto. Até que ponto ela me faz eu me perder completamente de mim mesma, perdendo meu auto-significado, meu storytelling. E até que ponto essa mesma falta de aderência me faz ter unicidade e singularidade em meio a todo esse telar de vida.

 

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: