Somatização

Nos últimos anos em que morei em CG (2005, 2006), eu tinha uma tosse que achava que fosse tuberculose de tão persistente. Nenhum médico conseguia descobrir o que era. Quando saí de lá, a tosse desapareceu como mágica. No meu último relacionamento, que não foi, nem de longe, a fase mais solar da minha vida, me recordo dessa tosse persistente também. Lembro que em 2013, antes das primeiras férias trabalhistas da minha vida, cheguei a ir em uma pneumologista. Ela bateu um raio-x e, novamente, “não havia nada”. Na verdade foi dito algo sobre uma asma fantasma, que só se manifesta quando quer, mas que eu não poderia ser considerada asmática. Okay. Achei estranho de qualquer forma. Essa tosse retornou este ano (2016) nos meses de junho e parte de julho, antes da operação no final do mês. Mas fui em pronto socorro duas vezes e em uma tomei um benzetacil e em outra só me passaram um remédio. Claro que era uma resposta do meu corpo frente as mudanças que estavam por vir. Toda vez que algo não vai muito bem, ou sinto algo que não consigo perceber muito bem o que é, misteriosamente minhas vias respiratórias ficam atacadas. Curioso, isso tudo. Vou tentar prestar uma melhor atenção na minha garganta, pelos próximos anos.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: