Nutshell

Meu 2016 in a nutshell até então: decisão, indecisão, guinada para o além, auto-sabotagem, medo, muito medo. Não sou mulher de ter medo. Já tinha feito uma decisão e recuado devido às circunstâncias. Foi um recuo oportuno, necessário. Precisei olhar pra algumas coisas antes, que não estava prestando atenção, que não notava que existiam. Isso tudo teve um bom timing com um salto em direção ao desconhecido, que ainda é desconhecido, que, aparentemente, assim será, pra sempre. Algumas coisas devem mesmo permanecer ocultas. Crise é uma palavra interna, mas não vejo isso como um problema: ela me convoca a reagir. I am slow but I am fit. No momento, penso em mandar as circunstâncias irem se foder e fazer o que preciso fazer. Tenho tirado tudo o que é desnecessário e inútil do meu caminho. Não quero carregar mais nada disso. E estou fazendo isso. Preparando o terreno. Lenta e precisamente.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: