Sem graça

Como é difícil tentar perceber a diferença entre um atendente espirituoso e um atendente rude. Um bom termômetro é quando, depois de soltar diversas grosserias disfarçadas de descontração, a pessoa se despede com “desculpe pelas brincadeiras”. Ela mesma, em algum nível primitivo do pensamento, percebeu que houve a possibilidade de ter sido rude. Pior é quando sequer percebe e acredita que está mesmo com a razão. Que tudo o que foi dito de forma inconsciente e impensada, realmente não foi nada demais à ponto de atingir o outro. Entendo que ser espirituoso nem sempre é sinônimo de ser rude. Na verdade essas são coisas bem distintas uma vez que, para ser espirituoso, a pessoa precisa de boas referências, uma certa engenhosidade com as palavras e um timing perfeito. Ser rude é fácil, qualquer idiota um pouco mais desatento pode acabar sendo rude em qualquer momento. Do mesmo modo que bom humor nem sempre significa senso de humor. São coisas muito parecidas, porém distintas. Algumas pessoas parecem que simplesmente optam por viver completamente descoladas da realidade. Ou acabam por assumir que não tem empatia alguma mesmo e pronto. E é justamente com essas pessoas, que não tem graça alguma, com quem devemos ter mais cuidado. Mesmo.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: