Chances

terei outras chances e as perderei também
as sobras dançarão solitárias em uma espiral
sendo sugadas pelo porco barulhento do ralo
na pia mais íntima do lavabo em algum lugar
desconhecido e indecente, nós perderemos
mais alguma esperança que não irá embora
junto da morte e na segunda feira voltaremos
à superfície das segundas chances desperdiçadas
assim tirando música de cada retorno
de cada vômito diante da luz da manhã
apreendendo outros destinos, novas teclas
a mesma tentativa no piano
tornando novos vícios, desiludindo antigos planos
cada vez mais íntimo do abismo
aprendendo a improvisar nas teclas pretas
da sombra

(Cometa Cavalo)

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: