Mudança

Tinha falado por aqui que a fiação elétrica do meu apartamento estava comprometida e que eu reclamaria com o dono do imóvel sobre isso. Que esperaria uma mudança de atitude por parte dele. Tentei ligar, não fui atendida. Ontem escrevi um longo e-mail relatando tudo e, no meio da escrita, desisti. Reli o texto várias vezes e só então pude me dar conta de uma ironia dolorosa – talvez a maior delas, em muito tempo. Apenas sorri e resolvi não mandar o e-mail. Foram três anos e acredito que já tive o suficiente. Não vou lutar pra ficar aqui se não preciso disso. Não luto: tenho verdadeiro pavor de ser considerada ‘uma guerreira’, simplesmente porque não sou. Nunca fui. Eu me resigno. Essa é a minha natureza. Não vou reclamar de nada para o dono do imóvel. Vou apenas consertar o que precisa ser consertado por aqui e vou embora. O timing é bom: o contrato vence em janeiro de 2016, o mercado imobiliário está aquecido e final de novembro e dezembro são minhas férias. Acho que mudar os móveis de posição não resolve mais nada pra mim. Esse lugar me oferece risco de morte, por curto-circuito. O tempo desse imóvel acabou pra mim. Preciso ir embora daqui.



E eu vou.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: