Imediatismo

As coisas tem dado errado de maneira certa. Ou tem dado certo de maneira completamente errada. Acreditei que algumas coisas aconteceriam no segundo semestre, agora… Mas as coisas nunca acontecem como eu quero. Da maneira que eu quero. Tão rápido quanto eu quero. Eu quero o bolo. Mas não quero me dar ao trabalho de assá-lo. De bater a massa. De selecionar os ingredientes. Não quero ter de pensar nessas coisas. Sou muito imediatista pro meu próprio gosto, às vezes. A diferença é que antigamente isso me imobilizava e hoje isso não acontece mais. Hoje as coisas acontecem: tudo é questão de tempo, sempre. Mas já há o planejamento e o movimento. Pode não existir muita agilidade, mas o fato de eu sair do lugar já diz muita coisa. O difícil não são as coisas acontecerem comigo e pra mim, na verdade… Sou eu ter de desejá-las. Sentir e reconhecer o desejo em mim. É dificílimo. É muito difícil eu me dar por vencida. Eu me dar por insatisfeita. Eu querer mais. Em abril desse ano decidi que quero uma carteira de moto. Já possuo CNH e carteira B. Precisaria providenciar a carteira A. E transferir a CNH para onde moro. E ter aulas de moto. E então comprar uma moto, ver toda a questão da papelada e providenciar uma garagem. Já planejei isso tudo e tudo acontecerá no tempo certo. Provavelmente acontecerá até o início do ano que vem. Eu só queria que acontecesse AGORA – o que é impossível. Mas o fato de eu ter tido o desejo – que inclusive foi reprimido por anos a fio pelo machismo do meu pai e da minha família – já é mais importante do que qualquer coisa. Inclusive eles nem foram avisados. E nem serão. Só deverão saber de qualquer coisa a partir do momento em que eu fizer viagens de moto. É um tanto quanto confortável poder viver sem pedir a opinião (permissão) deles para algumas coisas. Não é tão confortável assim eu ter de me responsabilizar pelas minhas próprias escolhas e, de fato, bancá-la. Mas enfim, prefiro assim. Prefiro as coisas como elas são hoje, me sinto mais próxima do que eu realmente sou, mais do que jamais estive. A verdade é que eu não tenho muitos desejos. Nenhuma ambição em específico me move. Não desejo nada de forma muito ardente. São poucas as coisas que me movem, de fato. Então só o fato de eu estar me mobilizando para isso tudo já me satisfaz, de algum modo. Também tenho outros planos, um pouco mais complexos, que deverão acontecer em no máximo 2 ou 3 anos, que tem a ver com a minha saúde. Preciso continuar querendo. Preciso continuar me planejando, pra tudo isso. Pra ser cada vez mais uma versão melhor de mim mesma. E preciso manter o foco.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: