Abujamra

“Eu não as odeio inteiramente porque elas não existem por inteiro. Eu odeio os detalhes, os cacos que elas são”

A festa está terminando, são quatro horas da manhã, eu estou com uma vontade inexplicável de sair correndo pela praia. Simplesmente correndo. Correndo pelas praias dessa cidade, a pior cidade. A que eu sempre odiei. Que é a melhor cidade. A melhor cidade pra mim. A única cidade possível. Com essas pessoas que eu sempre odiei. Sempre vou odiar. São as melhores pessoas. As únicas pessoas que prestam pra ficar ao meu lado. São essas pessoas que eu odeio que são comoventes, como esta merda de cidade que eu odeio. Essa merda de cidade que eu odeio, mas que às quatro horas da madrugada me comove terrívelmente. Como essas pessoas que eu odeio. Que eu tenho que amar. Como essa cidade que é minha. Que será sempre minha. Como essas pessoas que serão minhas. Exatamente como essa cidade.

Essas pessoas.

Essa cidade.

Essa pessoa.

Estas pessoas.

Essa cidade.

Essas pessoas.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: