Ram Dass

“Depois de meditar por alguns anos, eu comecei a ver os padrões de meu próprio comportamento. Uma vez que você aquieta a sua mente, você começa a ver a natureza de sua própria resistência mais claramente, esforços, diálogos internos, a forma que você procrastina e desenvolve uma resistência pacífica contra a vida. Uma vez que você cultiva o testemunho, as coisas mudam. Você não precisa mudá-las. As coisas apenas mudam.”

“Estamos todos apenas levando uns aos outros para casa”.

“Quanto mais quieto você se torna, mais você pode ouvir”.

“É importante não esperar nada, e receber cada experiência, inclusive as negativas, como meros passos no caminho, e prosseguir”.

“O mais requintado paradoxo… Assim que você desiste de tudo, você pode ter tudo. Contanto que você queira poder, você não o terá. No minuto que você não quiser poder, você terá mais do que jamais imaginou ser possível”.

“Sofrer é parte do nosso programa de treinamento para nos tornarmos sábios”.

“O aspecto mais importante do amor está não em ofertá-lo ou recebe-lo: está em sê-lo. Quando eu preciso de amor dos outros, ou preciso doar amor aos outros, sou flagrado em uma situação de instabilidade. Estando/sendo amor, ao invés de doá-lo ou recebê-lo, é a única coisa que provê estabilidade. Estar/ser amor significa ver o Amado por toda a minha volta”.

“A jornada espiritual é individual, altamente pessoal. Não pode ser organizada ou regulada. Não é verdade que todos deveriam seguir um caminho. Ouça a sua própria verdade”.

“Sentimentos de aversão ou apego acerca de algo é a sua dica de que há trabalho a ser feito”.

“Informação são apenas pedaços de dados. Conhecimento é colocá-los juntos. Sabedoria é transcendê-los.”

“Em nossos relacionamentos, o quanto permitimos que se tornem novos, e o quanto nos apegamos ao que eles costumavam ser ontem?”

“Através de planos de consciência, temos que viver com o paradoxo que coisas opostas podem ser simultaneamente verdade”.

“A pergunta que precisamos fazer a nós mesmos é se há qualquer lugar que possamos ficar em nós mesmos onde podemos olhar tudo o que está acontecendo a nossa volta sem pirar com isso, onde podemos ficar quietos o suficiente para ouvirmos nosso predicamento, e onde podemos começar a encontrar modos de agir que ao menos não contribuirão para uma futura desestabilização.”

“Nossas interações uns com os outros refletem uma dança entre amor e medo”.

“Há muito mais em qualquer dado momento do que usualmente percebemos, e que nós mesmos somos muito mais do que usualmente percebemos. Quando você sabe disso, parte de você pode ficar fora do drama da sua vida”.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: