Habitat

Sonhei com você pela primeira vez. E no sonho, você estava puto comigo. Eu estava na sua casa, na sala de estar e havia uma mulher comigo. Uma mulher linda e muito interessante. Eu estava sentada em um sofá e ela em outro. E estávamos conversando animadamente, não lembro sobre o quê. Ela era tão linda que às vezes ela falava e eu me esquecia do que estávamos conversando, porque eu ficava olhando pra ela e me perdia. E claro que eu estava tentando seduzi-la, mas não sei se com muito sucesso (a gente nunca sabe dessas coisas). Haviam livros, jornais e vários papéis avulsos espalhados na sala enquanto a gente conversava. Eu anotava coisas e ela também. Estava divertido e a sala toda estava bagunçada. Uma bagunça necessária e produtiva. E de repente você entrou na sala, cheio de passivo agressividade, arrumando a bagunça e dizendo pra moça quais eram os livros certos, quais eram as notícias certas e arrumando e organizando as coisas todas que estavam bagunçadas, uma a uma. Nada fiz. Só continuei deitada no sofá, te observando e recebendo seus olhares de desprezo e inveja. Você só estava passando por ali porque tinha que sair para algum outro compromisso, e sei lá, quis marcar presença mesmo que só de passagem. Você veio, causou e foi embora. E depois a conversa com a mocinha demorou para voltar ao que era antes. Fico aqui tentando me lembrar do que senti quando te vi no sonho pela primeira vez. É bastante confuso, pois foi como se parte de mim já te conhecesse. Me senti confortável e não reagi. Continuei deitada no sofá, com meus livrinhos, como se nada estivesse rolando realmente. Algo como “ah tá, é ele ali”, meio indiferente. A outra parte de mim, a parte que não te conhece, teve o coração disparado e uma felicidade discreta ao te ver, mesmo que estivesse levando bronca. Essa outra parte engoliu seco e fez um sorrisinho de canto de boca. E se não fosse tão indolente, levantaria pra ter te abraçado. Mas esta parte com certeza pensou “meu deus, é ele no meu sonho!” e ficou cheia de questionamentos. “Por que ele apareceu assim?”, “por que ele está puto?”, “por que ele foi embora?”, etc. entre outras perguntas que não serão respondidas com tanta facilidade assim. Sonhei outras coisas mas depois finalmente acordei chocada de ter sonhado contino porque não imaginava que isso fosse possível. E foi. De um jeito meio torto mas foi. Sonhos explicam bastante coisas. Você é meio mitológico, para mim. E em parte, é como se você também não existisse. É curioso. Enfim,… Eu gosto de você.

Porque você permite que certas coisas existam em mim.

Porque você me habita.

E isso é importante, pra mim.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: