Enrustidos

Li esses dias um texto sobre os homens de hoje em dia começarem a assumir mais seus desejos, em contrapartida ao discurso de “os homens de hoje em dia tão tudo gay”.

Não quero falar de homens, quero falar de pessoas. Me parece que todo mundo, no geral, ainda é muito viado – e isso independe do tipo ou forma que as pessoas escolhem (ou não) explorar suas respectivas sexualidades.

O problema das pessoas deixou de ser sexo há muito tempo: eu vivo no futuro, para mim, esse é um ‘problema’ que jamais deveria ser entendido como tal.

As pessoas hoje são enrustidas em outros sentidos – em vários, menos no sexual – e assumem, efetivamente, pouquíssimas coisas. Para os outros, para si mesmos, não importa.

As pessoas são irracionais e os relacionamentos já deixaram de ter uma certa linearidade – se é que tiveram algum dia – há um certo tempo. As pessoas se traem. Escondem. Omitem. Mentem. Dissimulam. Se amam. Se odeiam. Ad aeternum.

Ou vai ver sou eu quem interpreto errado e as pessoas, na verdade, resolvem assumir uma série de coisas ao mesmo tempo… E às vezes talvez simplesmente esqueçam de comunicar umas às outras disso.

Ou acham que não é necessário ou insira sua desculpa predileta aqui.

Acredito na viadagem das pessoas porque acredito na sua mesquinhez de afeto. Acredito na viadagem porque acredito na falta de consideração total e irrestrita para com o outro. Acredito na viadagem porque sei que existem mentiras travestidas de discrição e má fé travestida de privacidade.

Então, sim, as pessoas de hoje em dia tão mesmo tudo gay.

Reformulando a frase: as pessoas de hoje em dia são, em sua grande maioria, enrustidas.

Me considero cínica, mas na verdade sou uma amadora… Os verdadeiros cínicos que me desculpem, mas desamor nunca vai ser aceitável em nenhuma situação. Pra mim, claro.

Amor eternamente enrustido não é amor. É demência. Ou falta de coerência.

E tudo bem, eu também posso sim aceitar que as pessoas não precisem assumir absolutamente nada para ninguém. Que seu desejo é, de fato, permanecer enrustido. Desde que isso esteja claro antes de qualquer início. A última lição aprendida foi: isso jamais estará claro. Mesmo que seja pedido abertamente. Não existem garantias, de nada, para nada, quando tratamos de sentimentos humanos.

É mais aceitável manter um distanciamento seguro e saber sempre que as pessoas, por melhores que sejam (ou pareçam) suas intenções, seguem suas agendas particulares e tem interesses próprios, bastante específicos. Interesses que mudam sem precisar de maiores explicações. Interesses que mudam o tempo todo.

E é assim que banda toca.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: