Tive um sonho estranho. Estava com você e com seus amigos, num lugar estranho. Era um grupo de pessoas conhecidas, mas por algum motivo eu permanecia distante. Visitávamos ruínas, um lugar incomum, como aqueles que vejo quando estou consciente. Queria me aproximar, dizer algo. Te perguntar coisas. Mas na verdade não sabia o que te dizer, nem o que te perguntar. Te observava ocupado, em outras circunstâncias. E acabei me perdendo no meio de tudo aquilo. Me lembrei que há muito tempo você me disse que não gosta de viagens planejadas, que o que te interessa é se perder para saber como voltar. Para onde voltar, especificamente, parece que nunca te interessou (como se tudo, como se qualquer lugar, já fosse seu). Uma pessoa que já se apropriou do  seu lugar, do mundo, da vida, faz tempo, há vidas. Ouvia vozes distantes que me pareciam muito próximas, era uma sensação estranha, desconexa. Sabia que você estava ali, que todos estavam ali, mas não os enxergava. Não havia segurança pra mim, mas observava a beleza do lugar e isso não me preocupava. Estava perdida, sem mapa, sem bússola, sem sentido e nunca me senti tão confortável assim. Acordo. Vejo uma mensagem sua sobre mentiras e respeito. Você nunca me pareceu tão real.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: