Minha vida é patética

Faz cerca de um mês que eu aprendi a tricotar com uma amiga minha. Ela me deu a agulha e um novelo que acho que já estava pela metade, com o qual comecei um projeto de cachecol. Era um novelo multicolorido, muito bonito.. Acho que ficaria um cachecol bacana, eu estava ME ESMERANDO nisso, de verdade. Eis que o novelo termina e o cachecol fica pela metade, para a minha preocupação. A amiga me indicou a loja onde eu poderia comprar outro pra dar continuidade ao projeto e hoje eu resolvi ir lá, pra comprá-lo. A loja é linda, grande, com várias coisas fofas (e caras), mas eu só fui lá mesmo pra comprar aquele novelo em específico e ir embora. Fiquei pensando que viajaria alguns dias e gostaria de ter algo pra me distrair experando a conexão entre um vôo e outro (só me lembrando bem mais tarde que não é permitido embarcar com AGULHA DE TRICÔ em vôos domésticos, pois é, que merda).

Uma mocinha querida me atendeu e eu mostrei a ela o meu novelo do cachecol pela metade. Não tinha encontrado ele logo de cara assim que entrei na loja, então ela foi ver se tinha mais no estoque. Esperei um pouquinho, olhando os outros novelos sem muito ânimo. Ela voltou e me disse que não tinha mais daquele novelo. Meu mundo caiu. Perguntei se não seria possível que encomendassem mais uma remessa, etc. Ela me disse que não, que não trabalhavam mais com aquela marca. E como eu sou idiota, comecei a chorar… Lógico né? Chorar COPIOSAMENTE na frente da moça. Foi ridículo. Falei que odiava abandonar as coisas pela metade e ela foi me buscar um copo de água. Falei que não estava bem. Falei que estava na TPM. Mas qualquer coisa que eu falasse não ia tirar o ridículo da situação, embora a moça parecesse mesmo preocupada. Depois do constrangimento total de ter tido uma crise em público, sequei as lagriminhas, suspirei fundinho e fui ver os outros novelos, com menos ânimo ainda do que quando olhei quando cheguei. Não queria levar nada, achei tudo feio. Nenhuma das cores me agradou, fiquei botando defeito em tudo. Achei tudo uma merda, mas não quis sair da loja com as mãos abanando depois do escândalo.

Pensei em levar um novelo bem podrinho, afinal, eu não sei tricotar direito ainda mesmo. Mas me recusei. Não é por que não sei tricotar direito que eu devo tricotar com qualquer coisa. Tinha uns novelos que eram muito caros e pareciam muito bonitos, mas não me animei a levá-los com medo também de estragá-los.  Tinha um azul marinho, lindo de morrer… Mas como farei só um cachecol pra mim – e eu já uso roupas escuras demais – talvez não ficasse tão legal. Também não queria levar qualquer coisa, queria levar algo que me agradasse… Mas era impossível que qualquer coisa me agradasse no estado deplorável que eu estava. Pensei em levar um novelo de uma cor só, mas acho que morreria de tédio. Também não quis levar nenhum com coisas brilhantes demais por que acho feio. Acabei levando dois novelos multicoloridos (um verde, creme e vermelho o outro marrom, creme e rosa). Sim, pra variar levei multicoloridos, pois é… E acho que fiz isso sem pensar muito por que 1. estava sem paciência de escolher entre um e outro; 2. já estava de saco cheio e constrangida o suficiente de ficar dentro daquela loja e queria ir embora logo.

Paguei e saí da loja com cara de bosta. Eu estava triste, magoada e com muita raiva, da vida, da existência, de tudo. Estava ventando, mas sentei na praça e comecei a planejar o novo cachecol e tricotá-lo como se não houvesse amanhã, apesar do vento, apesar das pessoas fumando na praça, apesar dos mendigos em volta. Contando no relógio, tricotei por uma hora e meia sentada naquele banco, num vento frio. Nesse meio tempo parece que me acalmei, meu cérebro se distraiu. Estou tentando me acostumar com o novelo novo. Parece que o cachecol vai sair mais solto e macio por que ele tem umas bolinhas legais, mas pra mim parece que agora tanto faz, não me importo mais. Joguei o projeto de cachecol pela metade inteiro no lixo e não tive dó, por que se a gente fica com dó guardamos coisas que não nos servem mais. Joguei no lixo também com certa raiva, por não ter encontrado novelo pra dar continuidade, por ter abandonado um trabalho pela metade e por que essa porcaria não vai ter utilidade nenhuma mesmo. Sim, eu poderia pensar em procurar o mesmo novelo em outra loja. É, eu poderia fazer uma busca em algum lugar na Internet e caçar esse novelo no inferno. Mas se não foi pra eu achá-lo hoje, talvez simplesmente não seja pra eu achá-lo nunca mesmo. E isso é triste… E não há o que ser feito.

Nunca mais começo nada pela metade.

A vida é uma piada.

De péssimo gosto.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: