Eu não quero ser eu

Vez e outra eu tenho crises de existência. Tá. Pode existir gente que nunca teve, mas eu tenho. Acho engraçado que as pessoas me achem (elas me dizem isso, não estou inventando) tão certa das coisas, tipo “nossa, você já sabe o que quer, já tem tudo encaminhado, eu queria tanto ser assim”. Não queira. Por mais que pareça, não sou tão segura quanto pensam e nem quanto eu penso. Não teria tanta certeza assim sobre mim mesma.

Ter foco não tem NADA a ver com saber o que quer. Foco e disciplina são só ferramentas (características) que potencializam algumas coisas pras quais eu já estou disponível, mas não tem nada a ver com saber, efetivamente, o que se quer. Eu não sei exatamente o que quero – nem o que eu sou ou vou ser – num sentido mais amplo. Mas no sentido prático, eu faço por onde e faço de acordo pra atingir meus objetivos, pura e simplesmente. Coisa que qualquer pessoa com o mínimo de decência e competência faz.

Não que ultimamente eu não esteja satisfeita com as coisas que tenho feito e estou fazendo. Acho que estou satisfeita com o que faço, sim. O problema agora é que geralmente quando eu páro em algum momento em que preciso me definir (“faço isso, faço aquilo mais, sou aquilo outro”) eu não consigo, e também não consigo entender se isso é bom ou ruim. Talvez seja bom e ruim e isso não tenha muita escapatória.

Eu deveria relaxar mais com essas coisas. Deveria aceitar algumas outras também, com mais facilidade. Mas né, quem disse que tudo seria simples? É fato que eu me preocupo demais com coisas que não deveria, mas isso agora tá pegando. Acho que o problema não é que eu não queira ser eu, mas que eu queira ser algo. Mas mais do que ser só algo, eu também queria ser muitas coisas. Talvez eu seja essas muitas coisas e esteja com dificuldade de lidar com isso (o’rly? ya rly.). Talvez o que eu quero ser não exista, o que seria pior ainda.  Ok, o problema não é tão complexo assim… O que eu quero existe e eu estou trabalhando pra isso.

A sensação que eu tenho é a de que preciso sair do armário, mas não estou sabendo bem como. Crise de identidade é uma coisa escrota. Mesmo.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: