Fragmentos

1237226118804_f

De tanto me partir, aprendi a gostar de fragmentos pois descobri que no total eu era todos os pedaços que havia juntado pelo caminho e os que eu havia perdido por aí.

Descobri que fragmentar-se é se repartir com o mundo de alguma forma e a coisa mais generosa que alguém pode fazer é dividir os seus cacos com quem puder fazer algum proveito.

Um fragmento sempre permite um princípio de idéia, uma resposta a uma pergunta, uma possibilidade para além dos três pontinhos.

Um pedaço seu que você deixou de fora quando fez o último mosaico de si mesmo pode ser útil a alguém que também esteja se remontando.

Fragmentar-se necessário para estar sempre em construção.

É permitir-se novas cores e formas, novos ângulos, novas perspectivas e novas interpretações.

Fragmentar-se ao contrário do que possa parecer, é uma chance de crescimento.

Carolina Veríssimo via fotolog

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: