Qual a diferença entre auto-controle e disciplina?

por Dora

Até hoje eu não havia pensado nisso direito. Mas há alguns segundos atrás é que cheguei em algumas conclusões acerca dessas duas palavras. A vida inteira me disseram que eu precisava de “auto-controle” como se isso fosse um produto que eu pudesse adquirir na farmácia mais próxima. Auto-controle no caso serviria pra me impedir de fazer coisas que eu quero fazer, mas não devo fazer. E eu, de fato, já tive auto-controle pra muitas coisas. Já me segurei pra não beber num dia em que estava particularmente deprimida. Já me controlei pra não arrastar a cara de uma amiga-da-onça vagabunda no asfalto quente. Já fiz o diabo pra não dizer certas coisas que ele não precisava ouvir. Não de mim. Enfim.

Ainda assim, auto-controle da forma que me falam parece que é uma ‘coisa’ meramente momentânea, algo que você decide ter na hora e não um comportamento de uma vida toda, de fato. “Auto-controle” pra mim, até hoje tem uma conotação negativa, algo que parece difícil, complicado, impossível. Pensei até que pudesse ser trauma. Lembro da minha mãe, gritando aos 4 cantos da casa, que eu precisava de “auto-controle” e esse maldito auto-controle nunca aparecia pra mim e eu ficava pensando “por que será?”. Aí acho que hoje meio que descobri por acidente que auto-controle é apenas uma qualidade decorrente de uma vida inteira de disciplina. Resumindo: não adianta querer aguentar o tranco, se você não tem estrutura nenhuma pra isso. Desista. Você nunca vai conseguir.

É bom poder enxergar as coisas de forma o mais holística possível. Não bebo quando estou deprimida, por que sei que beber pra afogar as mágoas, além de não resolver nada, pode me levar a falar/fazer muita merda. Ou seja, se eu bebo quando estou deprimida é por que eu quero de fato fazer merda, passar muito mal mesmo e chutar o balde. Eu não arrasto a cara dos outros no asfalto quente por que sou uma lady e não gosto de perder a razão. Nunca. Nunquinha. Prefiro “deixar por isso mesmo”, e os outros morram com suas consciências apodrecidas e atormentadas do que ter as minhas mãos sujas e ainda por cima ficar mal na fita. E eu não digo o que as pessoas deveriam fazer, por que não sou mãe, nem psicóloga, nem professora e isso de sujo falando do mal lavado é ridículo. Deixo a própria vida, a mestra dos mestres, ensinar.

Anyways.. Ontem eu optei por ter disciplina em alguns aspectos da minha vida. E ter disciplina implica em ter horários e se submeter a várias coisas que, a priori, não parecem agradáveis, mas com o tempo se tornam bons hábitos, e que com mais tempo ainda, se tornam qualidade de vida. Não busco um resultado imediato, mas uma garantia de uma vida melhor, mesmo que seja só daqui uns anos. Quero sumir com esse eu de hoje e reaparecer com uma outra pessoa, que as pessoas não reconheçam mais. E é exatamente isso que vou fazer.

.
Texto escrito originalmente em 02/04/2007.

Não mudei porra nenhuma… Mentira, em alguns aspectos mudei bastante sim…

About these ads